Antibióticos interferem na eficácia do Anticoncepcional?

Antibióticos interferem na eficácia do Anticoncepcional?

menos de 1 minuto O uso de anticoncepcionais é algo extremamente comum em nossos pacientes. Nos casos onde prescrevemos antibióticos, e a paciente está fazendo uso de anticoncepcional oral, uma dúvida frequente é se tais medicações podem de fato interferir na eficácia do anticoncepcional. É função do profissional que prescreveu a medicação orientar ao paciente sobre os possíveis efeitos adversos ou indesejáveis da medicação prescrita. O mesmo é verdade com relação a possíveis interações medicamentosas importantes, o que neste caso, poderia resultar em risco Continue lendo

Dor Pós-Operatória: Como Quantificar & Tratar de Maneira Objetiva

Dor Pós-Operatória: Como Quantificar & Tratar de Maneira Objetiva

menos de 1 minuto Você faz uma exodontia e no dia seguinte o paciente te liga dizendo que está com dor forte. Não é raro o paciente receber, por telefone mesmo, a orientação: tome mais um analgésico e a dor vai passar.  Tais condutas com certeza não são as mais adequadas. A causa da dor não foi investigada, a dor não foi devidamente quantificada e a tentativa de promoção de analgesia foi feita de forma simplista e ineficiente. Uma vez que a dor é uma Continue lendo

Projeto Inovador em Odontologia – Inovação na Prática – Nova conexão para Seringa Carpule

Projeto Inovador em Odontologia – Inovação na Prática – Nova conexão para Seringa Carpule

2 minutos Desde a criação do meu canal do Youtube com certeza esse vídeo foi o mais desafiante de todos. Mas antes de ver o vídeo, eu explico um pouco os bastidores que me levaram a produzí-lo. O problema A seringa carpule e agulha anestésica foram desenhadas a mais de 100 anos e muito pouco evoluíram desde então. Apesar de apresentarem alguns problemas, acabamos nos acostumando com os problemas e achamos que são normais. Você vai injetar a solução anestésica e percebe que o Continue lendo

Paracetamol ou Dipirona?

Paracetamol ou Dipirona?

10 minutos Todo Dentista já passou por essa dúvida na hora de receitar um fármaco para controle da dor pós-operatória. Em especial após procedimentos cirúrgicos onde a dor esperada é maior. Entre os muitos analgésicos disponíveis no mercado, a dipirona e o paracetamol estão entre os mais famosos. Sempre que dou aula, questiono meus alunos sobre quem receita dipirona e quem receita paracetamol para o controle de dor, e sempre há diversidade de respostas. Existem cirurgiões-dentistas (CD) que amam uma e odeiam outra, e Continue lendo

Antissépticos bucais: prescrições baseadas em evidências

Antissépticos bucais: prescrições baseadas em evidências

13 minutos Prefácio (Prof. Fernando Giovanella) A forte influência das campanhas de marketing tem surtido um efeito cada vez mais intenso no senso coletivo da classe odontológica. Algumas condutas que outrora eram tomadas de acordo com preceitos científicos, estão sendo tomadas de maneira inconsciente e equivocadas. Tais decisões, em nada tem contribuído para a saúde da população. Alegações comercialmente persuasivas e muitas vezes falaciosas como “o dentista recomenda” que fora dirigida inicialmente ao público leigo, acabou contaminando os próprios formadores de opinião – os cirurgiões dentistas. Minha indignação Continue lendo

5 motivos para você repensar o uso do vasoconstritor Felipressina em pacientes hipertensos

5 motivos para você repensar o uso do vasoconstritor Felipressina em pacientes hipertensos

8 minutos Neste vídeo, vamos entender o que dizem as evidências científicas em relação o vasoconstritor felipressina, também chamado de Octapressin. No Brasil, esta solução anestésica apresenta-se em 3 apresentações comerciais: Citanest, Prilonest e Citocaína. Por mais que se tenha relatado que essa solução anestésica é a opção mais segura para pacientes hipertensos e/ou cardiopatas, neste vídeo vamos ver por que isso não é uma verdade absoluta. Abaixo, segue a transcrição do vídeo com as devidas referências. Use sempre anestésico que contenha felipressina como vasoconstritor Continue lendo

A repercussão do post sobre Bola de Bichat – Onde estão as evidências?

A repercussão do post sobre Bola de Bichat – Onde estão as evidências?

11 minutos Parecia que as minhas palavras estavam engasgadas na garganta de muitos dentistas e, através do compartilhamento do post, puderam extravasar sua inquietude e opinião. A mesma rede social que outrora foi tomada pelas sefies e fotos da Angelina Jolie, agora foi palco de uma enxurrada de expressões de idéias e opiniões. Eis a beleza da era digital! É emocionante vermos que, por um instante, muitos de nós paramos de compartilhar coisas e passamos a debater idéias. Inúmeros com maestria, com argumentos lúcidos, Continue lendo

Bola de Bichat é ouro! a pseudo-odontologia dos “bichectomistas”

Bola de Bichat é ouro! a pseudo-odontologia dos “bichectomistas”

1 minuto O intuito inicial era indicar a cirurgia de remoção da Bola de Bichat, bichectomia, para fins funcionais em pacientes que apresentam o herniamento desta estrutura muito próximo do plano oclusal. Nestas situações o paciente pode traumatizar os tecidos durante o ato mastigatório e a realização da bichectomia estaria indicada para melhorar deste quadro. Tal procedimento, em alguns pacientes, pode trazer concomitantemente, um ganho na harmonia da estética facial. Por conta disto, alguns dentistas viram nisso um nicho lucrativo e ser explorado. Começaram-se Continue lendo

Bloqueio do Nervo Alveolar Inferior – O passo-a-passo

Bloqueio do Nervo Alveolar Inferior – O passo-a-passo

2 minutos A anestesia na maxila apresenta altos níveis de sucesso. O osso maxilar, menos denso, poroso, é um leito convidativo e favorável ao permeio de soluções anestésicas. Uma anestesia infiltrativa bem sucedida de um primeiro pré-molar superior é uma façanha facilmente atingida por qualquer cirurgião dentista em formação e com o mínimo de treinamento. A solução anestésica facilmente atravessa a comumente encontrada fina e porosa camada cortical e prontamente adentra os espaços medulares capilarmente se disseminando até o embebimento das terminações nervosas apicalmente Continue lendo